Postagens

Mostrando postagens de 2017

#focoforçaefé

Hoje eu tô com vontade de chorar as pitangas, e quando eu digo hoje eu quero dizer atualmente.
TCC + dois curumins não tá fácil. Cecília tá numa fase beeeeem enjoada, não pode me ver que já vem com "teio mama" e ai de mim se não der o peito, porque aí há choro e ranger de dentes. Eu penso em desistir três vezes ao dia, eu penso em chorar, em fugir... Tá cansativo.Mas e o pai?
O pai faz mais que a maioria dos pais bocós por aí, mas ainda é pouco, e Deus me ajude se eu quiser falar da carga pesada porque tudo que ele sabe dizer é "Daqui a pouco acaba"Aliás todo mundo só sabe dizer isso, salvo as que dizem "depois piora" .Hoje eu tô com vontade de chorar as pitangas!!!

Maternidade e Ansiedade

Existe a ansiedade natural, aquele friozinho gostoso na barriga quando estamos prestes a fazer a viagem dos sonhos ou começas um novo emprego, e existe a ansiedade patológica que aquele que te cega e desespera por algo que, na maioria das vezes, nem ao menos é real.
Lidar com as crises de ansiedade, sem a responsabilidade de cuidar do bem estar de outra pessoa já é uma tarefa complicada e que precisa de psicoterapia, terapia ocupacional e/ou psicotrópicos, agora lidar com a ansiedade patológica e filho(s), meus amigos...
Mas como raios funciona essa tal de ansiedade patológica?
Imagina que você está vendo um filme e de repente seu cérebro diz "Já pensou se tivesse um tsunami no Rio de Janeiro?" e aí você começa a se preocupar realmente com essa possibilidade e tremer, ter taquicardia, falta de ar, mesmo sabendo que é apenas una possibilidade e aí tem o filho que quer atenção, quer brincar, quer carinho, precisa de banho, comer e não entende que você tá ali no meio de uma cri…

Fazendo escolhas

Quando nós nos juntamos para criar o Mães&Mais havia muita paixão envolvida, haviam 18 mães decididas a dominar o mundo, esse era o termo mais usado, transformar o blog em portal, ir no Encontro, comprar um condomínio e sermos todas vizinhas...
Mas quis a vida que o fogo inicial baixasse, algumas fossem ficando pelo caminho e o blog fosse ficando de lado, pintou a vontade de sair, mas eu tinha medo de decepcionar as pessoas, medo de perder alguma coisa, medo de desistir ser fracassar, aquela sensação de nunca ir ao final de nada (entrei de licença maternidade do PEM em maio do ano passado e nunca mais voltei, por exemplo) e fui ficando naquela indecisão. Aí a Gabi Ramalho postou uma imagem no Instagram do livro Mania de Explicação que dizia assim "Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer, mas acha que devia querer outra coisa" e aquilo falou comigo diretamente, era a coragem que me faltava e então eu saí da equipe...
O blog segue e eu desejo as meninas toda sort…

Fim das Férias

Imagem
Acabou Braseel!!!! E que delícia foi estar aqui durante as férias, falando de maternidade e de mim, compartilhando dores e delícias. Eu gosto tanto de blogar, me faz tão bem. A falta de postagens fez as visitas caírem de 800/900 pra menos de 100, algumas vezes menos de 50, mas ainda assim é divertido e delicioso poder escrever e saber que tem gente lendo.
Vou tentar não sumir completamente durante o semestre... E que os jogos comecem...


Dois

É enlouquecedor, ter duas crianças.
Antes, nos dias mais difíceis do guri a gente revesava e enquanto um tentava domar a era o outro respirava, agora se os dois entram no modo "Deus me livre" de uma vez ninguém respira.
É cansativo, eu tenho olheiras maiores, menos tempo livre e me resta cerca de 3% de sanidade mental...
Mas Santo Deus como é gostoso ver os dois juntos, brincando, dormindo, almoçando. Como é divertido ver Cecília pegar um brinquedo e sair correndo com a língua pra fora enquanto Ravi corre atrás, ou como é fofo ver o sorriso que ele dá quando ela acorda ou vice-versa, os dois jogando bola, brincando de carrinho ou de boneca, ver os dois sentados lado a lado pintando seus livros de colorir, observar Cecília imitar certas coisas que Ravi faz.
Dizem que ter dois é mais fácil que ter um e eu discordo completamente, mas não posso negar que ter dois é muito mais gostoso que ter um só...

Eu comigo...

Precisei de uns dias pra repensar a vida...
Estar só, eu comigo..
Vou fazer 30 anos, estou indo pro penúltimo semestre da faculdade (Se Deus quiser e a Estácio deixar), mas tô engasgada, com uma sensação de que não estava saindo do lugar, não estava caminhando na direção que queria chegar, estava ali parada olhando o caminho e falando sobre ameninades (oh céus, eu queria dizer falando sacanagem, mas vocês iam entender errado) no whatsapp.
Então eu parei, respirei e foquei!
Foco!
Desenhei, escrevi, rabisquei, coloquei metas, fiz contas e daqui um ano estarei bem adiantada no caminho...
Eu estava precisando entrar em contato com meu eu, ouvir minhas neuras, olhar meus medos nos olhos e perceber que eu sou, (voz da Marília Gabriela) Mariana por Mariana (fim da voz da Marília Gabriela), porque havia muito ruído externo, muita coisa de fora atrapalhando minha percepção (olha ela aí de novo) de mim...Então calei, observei e lembrei o que de fato é meu e repeli tudo que era externo.

Agora já…

Crie sua realidade?!

Uma frase que leio muito e que sempre me deixava com o pé atrás era "Você é quem cria sua realidade", porque eu sempre pensei que as pessoas que vivem em pobreza extrema não querem estar ali, e obviamente não estão criando aquilo como realidade.
Até que lendo um texto da Flavia Melissa no Instagram eu tive uma epifania...você cria sua realidade porque você escolhe se vai enxergar o lado bom ou o lado, se vai escolher o amor ou o medo. "Deu tudo errado" ou "lições aprendidas"? A escolha é sua e unicamente sua, é você quem cria sua PERCEPÇÃO de realidade, e tudo é percepção
E ao mesmo tempo que tudo se tornou mais claro, tudo  ficou mais difícil também, porque ser a única responsável por escolher como a vida será encarada é uma responsabilidade muito grande, e porque cá entre nós, reclamar não adianta, mas é bom e por isso vicia. Faz um mal danado, mas é bom...
E lá vamos nós, criar a nossa realidade, escolher o lado bom da vida e tentar reclamar o mínimo p…

Brainstorming

Imagem
Eu não consigo vender meu coaching porque penso muito como a Monique, essa  história de "Você só não é rico porque não quer" e "Largue tudo e empreenda" é altamente irreal para muitos de nós. E vejam bem, aqui ninguém trabalha de carteira assinada, mas essa é uma realidade possível a poucos e que precisa de muito planejamento.
Lendo a Marina um trecho em específico me chamou a atenção "porque julgar as escolhas do outro a partir da minha experiência não é empatia, é projeção" e é nesse ponto que eu me coloco, eu não acho justo colocar todas as pessoas no mesmo balaio e vender uma coisas como todos os outros vendem, eu acho injusto com quem compra e comigo, com aquilo que eu acredito.
Eu sou super a favor que as pessoas trabalhem com algo que gostem, mas eu não posso vender a máxima de "Encontre um trabalho que ama e você jamais trabalhará um dia sequer na vida.", porque isso é mentira!!! Por mais que você ame o que faz, ainda assim você vai pre…

O peso do mundo nas costas 2

Quase três anos depois desse post aqui passei por um fim de semana de cobranças, eu não, né? Cecília
Tá muito agarrada com a mãe
Tá muito grande pra mamar no peito
Vai começar a fazer xixi no vaso quando?
E comer sozinha?

Oh céus...
Tem horas que a gente tem que fazer cara de horta porque só de alface é pouco!!!
Ainda sobre o post de ontem, a maternidade é um constante confronto entre aquilo que me foi apresentado como o único modo de educar e aquilo que eu acredito ser o certo.
Todos os dias são uma batalha, uma enorme e complicada batalha.
Saber o que eu preciso e o que eu não posso fazer já é um adianto, mas a luta é pesada...
Talvez eu só precise de um respiro...

Isso também vai passar

A maternidade é uma das coisas mais difíceis que eu já fiz, se não a mais difícil.
Eu não sou uma pessoa paciente, nunca fui, paciência não é a maior das minhas virtudes, imagine então ter que lidar diariamente com dois filhos, duas crianças que exigem que eu seja paciente. Crianças humanas que fazem pirraça, que gritam, fazem mal criações e até debatem quando contrariadas.
Eu tenho vontade de gritar o tempo inteiro, eu tenho vontade de bater também. Pois é... Todos os dias eu tenho vontade de bater neles, eu não bato, nunca bati, mas constantemente eu tenho vontade. E é difícil lidar com isso, pois junto com a vontade vem a culpa e ela dói.
Eu sinto falta de silêncio, de ficar sozinha, ler, jogar, pensar, cantar, não fazer absolutamente nada...
Sinto falta!!!
Sinto falta de poder fechar a porta do quarto e ser só eu no mundo.
E é difícil assumir algo assim quando se é mãe, porque tem tanta gente por aí que queria ser mãe....mas oh mãe também reclama, porque mãe também é gente!!!!
Eu …

A vida como ela é...

"Aproveitar que Cecília dormiu vou escrever sobre motivação!"
*Abre arquivo no Word* *Ravi pede um suco* *Levanta, pega suco e volta pro notebook*
Alguns minutos encarando o arquivo em branco depois... "Vou dar uma olhada no Instagram, de repente o Universo está me mandando uma mensagem por lá pra me inspirar" "Nossa, que foto linda" "Olha essa arte que graça! Humm...vou escrever atualizar a fic" *Abre OUTRO arquivo do Word* *Relê o que já está escrito* "Tá uma porcaria isso aqui" *Apaga dois parágrafos*  *Escreve, lê e apaga ad infinitum* "Não tá rolando...vou escrever sobre puerpério" * Abre MAIS UM arquivo do Word* *Ravi entra no quarto, se aconchega no colo, beija e fica* "Mindfullness, né? Não dá pra fazer outra coisa nesse momento, só curtir o guri mesmo" *Alguns minutos depois mais um beijo e sai* "Agora vai...três puerpérios, tenho tanto pra falar. Falar? Caraca não gravei o vídeo ainda.Tenho que me organizar ma…

Woman at work

Imagem
Tô de férias!!!
E vou usar as férias pra trabalhar...
Trabalhar no blog
Trabalhar na minha formação profissional
Trabalhar no projeto
Trabalhar na criação dos meus curumins Trabalhar, né mores?
Será que eu consigo um post por semana?
Será????.

Fazendo as contas

Tô aqui refletindo...
Ontem duas pessoas me perguntaram se eu tô montando um time de futebol...
Eu tenho 2 filhos vivos, dois. Quantos filhos são o ideal?
Se eu tivesse só um, iam dizer que eu preciso de mais "Porque quem tem um, não tem nenhum", se vocês dois meninos ou duas meninas, eu teria que tentar um do sexo oposto, e se eu não quisesse nenhum também ia ter gente incomodada....
Nenhum filho não pode, um é pouco, dois é muito, mais que isso então...Deus me livre!Por que tanta gente se incomoda com a quantidade de filhos dos outros?

Sigamos...

A maternidade é devorada, ela é maior e mais complicada parte da minha vida, por vezes ela me engole.
Veja bem, por mais que você se comprometa a não se privar de nada por ser mãe, a vida irá te privar de muito...É assim que as coisas são...
A maternidade me consumiu e por vezes eu quis (e quero ainda) sair correndo até chegar no Canadá...Mas aí numa manhã de sábado, enquanto Cecília corre louca desgovernada pelo quintal gargalhando, Ravi senta pra meditar e "recuperar as energias" e aí eu me lembro que é só isso que importa!!!!
Parar, respirar e recuperar as energias. Tudo está no lugar certo, tudo acontece como tem de acontecer...
Sigamos...

#CecitaFez1

Imagem
Cecília
1 ano
7 dentes
79 cm
8,740 kg

Teve festa com tema de princesa porque a mamãe ainda alimenta essas coisas sim!
Fala: Mamãe, papai, Ravi, popó, gatinho, achei, pão, dá
Anda sem apoio
É ciumenta que só, valente, exploradora, carinhosa e atrevida

Vou deixar umas fotos da festinha e prometo voltar...








Propósito

Qual é o seu?
Tanta coisa mudou nos últimos 12 meses que além de não saber qual é o meu, ando duvidando da existência do tal.
Talvez seja o cansaço inerente as 2 crianças, faculdade e toda a vida que segue acontecendo, talvez eu tenha me tornado mais cética...talvez...vai saber!
Enquanto isso eu vou tentando enquadrar a Mariana na vida da Mãe do Ravi e da Cecília, essa semana mesmo eu já meditei duas vezes, as primeiras duas vezes desde que Cecília nasceu.
Hoje eu voltei a escrever, seguindo o plano de escrever no mínimo uma hora por dia (era o plano de 2017, mas chegamos a maio e ainda não rolou um dia), mas aí Cecília acordou e eu tô aqui...correndo atrás dela, mandando ela soltar uma das gatas, tirando ela de cima do sofá...
Há um propósito nisso tudo? E qual é o meu no meio dessa loucura que tá a minha vida?

Surreal

Imagem
Não existe mais vida no blogger, né? Agora é tudo via Instagram, parece. Mas eu ainda acho que mil palavras sinceras valem mais que uma imagem montada.


Há um ano atrás eu estava completando 36 semanas, e escrevi um post contando como tudo ainda era surreal,,,
E cá estamos nós...
Cecília é um bebê intenso, tem o riso fácil, é ligeira, carinhosa e tem seus rompantes de pirracinha. Se encaixou perfeitamente nas nossas vidas como se sempre estivesse aqui. É boa de cama e mesa, dorme super bem desde os 2 meses e come o que a gente oferecer.
Começou a andar sem apoio pouco depois de completar 11 meses e já até foge de casa, é a louca dos gatos, adora a Popó, tem 6 dentes, mama bastante e adora dançar.


Parece que todos os sentimentos da gravidez foram sentidos por outra pessoa,porque não consigo imaginar minha pituquinha.

Fácil não é...

Domingo, depois de um feriadão que começou corrido, edição de vídeo que tava atrasada, a responsabilidade de editar todos os vídeos de um canal que caiu no meu colo...
Chuva que não me deixou ir numa festa...
Pirraça pesada na noite de sábado...
Mordidas no seio seguidas de careta e gargalhadas...
E as provas vão começar...
Tô sem ânimo, viu?
Fico com vontade de vir aqui, mas ficaria mono temática, eu acho...
Se já era difícil dar conta da faculdade com um filho só, com dois tá beirando o impossível...
Mas é aquilo, né... Fácil eu sabia que não seria...

Mexeu com uma mexeu com todas?

Eu falei procês que queria falar mais do que maternidade, né? Desde que Cecília nasceu tenho estado mais engajada em combater o machismo institucional. óbvio que desde o nascimento do Ravi não queria criar um filho machista, mas ter uma filha me fez mais preocupada porque ela terá de lidar com outros homens que não o pai e o irmão.
O caso do José Mayer e toda o movimentação das funcionárias globais "Mexeu com uma, mexeu com todas", me levou a pensar o quanto disso é verdade. A Juliana Paes, por exemplo, declarou que: "Ele é uma pessoa querida, teve um momento infeliz, um episódio como todos nós podemos ter, ele se desculpou e isso trouxe luz a um tema pertinente".  Ela considerou, passar a mão na vagina da moça "um episódio", ou seja, mexeu com ela coisa nenhuma!!! Aliás, a Juliana Paes pra embaixadora da ONU Mulher é um baita de um equívoco, mas vamos falar disso um outro dia (ou não).

Daí eu vou contar um caso aqui.
Era uma menina de 23 anos, estudante d…

Segue o jogo...

Vocês são maravilhosas!!!!!
Sério mesmo...
Eu ainda estou muito puérpera e cá entre nós, anda sentindo uma saudadezinha danada de ser algo além de mãe, não tá fácil, mas impossível não é, né?
Só vim agradecer pelo carinho nos comentários...é bom saber que não estou tão sozinha afinal...
Depois eu volto com notícias e vídeos.
Cecília tá andando, acreditam? Aliás Cecília é um fenômeno da natureza, que criança levada....
Mas eu volto, pra falar melhor...
Prometo...
Beijos!!!

...

Eu pensei muito antes de escrever esse texto, eu pensei muito em como escrever esse texto também.
Eu não queria nada muito deprimente ou "carente", não queria que parecesse que estou tentando chamar a atenção.
Aliás, o post já começou, né? Já estou eu aqui me justificando pra que não pensem mal de mim...
Eu sou assim, me reservo de mais, me fecho de mais pra que ninguém faça uma impressão errada de mim. Tenho dificuldade de confiar nas pessoas, acabo sempre guardando as coisas pra mim e nesse momento tem tanta coisa guardada que eu vou explodir, eu acho.
Tô me sentindo sozinha, queria amigas, pra bater papo, falar besteira e desabafar quando necessário, mas não consigo.
Hoje estava brava e desabafei com "amigas" e riram, fizeram piadas e levaram como se fosse algo de menor importância, não houve EMPATIA a minha dor e minha neura com as pessoas só aumentou. Que coisa....
Há muitos e muitos anos atrás, minha melhor amiga na época disse "Você não pode fazer as …

Time for change

Imagem
Tá na hora de mudar. Mudar o layout, mudar o banner, mudar um pouquinho o tema também.
Porque falar de maternidade é legal, mas eu quero falar de outras coisas também...
O número de leitores já caiu tanto que eu me acho no direito de falar de outras coisas sem medo ser feliz!!!!

Fico aqui no casulinho, mas já já sai um blogleta (ai que trocadilho uó) novinho em folha!!!

Mães & Mais

Essa semana eu bombei lá no blog, teve post sobre como cuidar dos cabelos crespos e cacheados e teve relato de perda.
Depois passem lá pra dar aquela moralzinha

Ame Joaquim

Joaquim tem 7 meses, é portador de uma síndrome rara DEGENERATIVA, com perspectiva de vida de 2 Anos, A.M.E como é conhecida.
Aos dois meses de vida teve parada cardio respiratória dentro de casa, ficou 21 dias na UTI. Se alimenta por sonda.
A doença levou todos os movimentos, levou o sorriso, levou a parte respiratória.
MAIS A DOENÇA NÃO LEVOU A COGNIÇÃO DELE.
Ele entende tudo, ele quer viver, ele quer correr, brincar.
DIA 23 de DEZEMBRO FOI APROVADO O ÚNICO MEDICAMENTO PARA TRATAR A DOENÇA.
Ele pode recuperar tudo que ele perdeu.

Com nossas campanhas e doações conseguimos 6,66 % do valor, mais ainda falta muito, pois o valor do medicamento é de 3 milhões de reais.

Você pode ajudar clicando aqui.
Pra conhecer melhor a história o Insta é esse aqui


Perdida em mim

Às vezes eu tenho a sensação de que o único lugar, não só na internet o único mesmo, onde eu posso falar claramente como eu me sinto sem que ninguém surja me dando a solução mágica de como resolver o problema. Eu vejo a maternidade mais ou menos como o mar, sabe? Você tá ali de boa curtindo a maré e de repente vem uma onde e te puxa num caixote de dar medo. Eu estava começando a curtir a marolinha de novo com Ravi, quando Cecília chegou como um ciclone e me sugou e por mais que eu tente voltar a superfície estou constantemente sendo sugada de volta para o ciclone que é ter dois filhos e me perdi de mim! Abandonei hábitos, desejos, adiei sonhos, troquei planos,mudei de ares e círculo social. As vezes eu relaxo e curto o ciclone, deixo que as águas agitadas da maternidade me carreguem, as vezes eu me debato tentando emergir, respirar. Tento implementar rotinas, familiares ou totalmente não relacionadas a maternidade, mas tenho falhado miseravelmente. Não tá fácil, viu? Cecília tem só 9 me…

Daqueles dias...

Imagem
Sexta-feira de carnaval, Ravi tá atacadíssimo, minha mãe tá sendo ela, mas Cecília tá no ápice da alegria de viver e eu recebi um vídeo com  Trem-bala tocando de fundo.


"Que a vida é trem bala, parceiro e a gente é só passageiro prestes a partir"

Um dia perfeito

Eu tenho tanto para lhes falar, mas um misto de procrastinação e sensação de estar perdendo tempo falando sozinha não deixam.
Mas, porém, contudo, entretanto, sobretudo inspirada por esse post da Marina, decidi narrar meu dia ideal. Eu acordo cedo, antes de todo mundo e vou para um cantinho da casa, acendo um incenso e medito por meia hora, os únicos sons que eu ouço são os passarinhos cantando.
Depois enquanto eu desço pra preparar o café da manhã, o pai acorda e arruma as crianças.
Na mesa do café tem suco, café, leite, Nescau, pão, manteiga e biscoito e as vezes até bolo.
Enquanto o pai leva as crianças pra escola, eu vou trabalhar até meio dia.
Almoçamos todos juntos, conversamos, e depois enquanto as crianças fazem suas tarefas, eu sento pra ler um pouquinho.
No fim da tarde eu saio pra correr. O bairro é tranquilo, tem bastante verde e eu consigo correr 5 km tranquilamente.
Antes das crianças irem pra cama, nós sentarmos no quintal, que tem uma horta e árvores frutíferas (maçã,…

Baby friendly

No sábado eu iria participar de um Workshop para colocar em prática os planos de 2017, como esse workshop seria de 8:30 h às 16 h na Barra da Tijuca perguntei se eu poderia levar a Cecília, e a resposta me desmotivou "Pode levá-la mas considere que terão outros participantes no workshop e se o bebê começar a chorar ou fazer barulho você precisará ir para o andar de baixo para não atrapalhar os presentes."

Como assim se ela fazer barulho eu vou ter que ir pro andar de baixo????
Eu tenho bom senso, né? Se começasse um chororô desesperador que atrapalhasse eu ia sair, mas ir pra outro andar?

Óbvio que eu não fui ao workshop. Eu poderia ter deixado a Cecília com o pai, ele queria que eu tivesse feito isso, mas eu não conseguiria passar mais ou menos 12 horas (8:30 de worksho + 1:30 de ida + 1:30 de volta) de um bebê que mama em livre demanda.

As vezes ser mãe é um saco!

Nesse mesmo sábado em que eu deveria estar no workshop, eu estava no mercado e um pai na minha frente acompanh…

Das voltas que a vida que da...

Faz tempo que não sento para escrever aqui com sentimento, daquelas postagens libertadoras e cheias de paixão.
Não sei ao certo o porquê.
Acho que com 2 bebês em casa acaba me faltando a tal paixão pela escrita.
Cecília é cheia de vida, engatinha pela casa toda, persegue as gatas (temos 3, 2 completando 3 meses hoje), anda por toda a extensão do sofá e da rack, dá abraços e faz carinho.
Ravi segue sendo meu filho perfeito, muito prestativo, engraçado e bem humorado, com um outro episódio de pirraça.
Eu sou toda paixão! Paixão pelas crianças, pela carreira que tá me esperando, por livros e passeios que ainda não fiz e pelo Mães & Mais.
Tá lindo lá, a página, o canal, é tudo feito com tanto amor e dedicação que dá gosto de ver.
Antes de descobrir a gravidez da Cecília eu estava criando um programa de coaching pra mães chamado "Multi Mães", era uma ideia que eu estava gerando com muito amor; seriam 10 sessões on line e eu as ofereceria para 10 mulheres totalmente grátis, p…

"Não vai colocar um brinquinho?"

Cecília não tem as orelhas furadas e isso parece incomoda muito as pessoas...
Minha tia está no Brasil e ao perceber o não uso de brincos, quis saber o porque, mas ao ouvir minhas respostas sentenciou "Mariana é muito primitiva, nem os velhos pensam assim". Eu, particularmente, caguei pra opinião dela e segui o jogo.
No dia seguinte, ela mostrava sua coleção de óculos de sol (eu AMO óculos de sol) e enquanto eu experimentava começou o jogo:

- Se você furar a orelha dela eu te dou 3 óculos
-Não, obrigada
- Eu pago, compro um brinquinho de ouro.
-Não vou furar não, nem adianta me chantagear.

Saí do quarto, porque queria manter a paz de espírito, comentei que não entendia o porque desse desespero e obtive a resposta "É que ela parece muito com o pai"

MANO, SÉRIO???

E se furar a orelha ela vai perder a cara de Valber??? Eu hein...

Apesar que eu acostumei até, tem sempre quem diz que "é melhor furar logo"...
Enquanto eu não receber o memorando me informando qu…

Sexta-feira, 13

Ravi dorme com a gente desde sempre. Funciona bem pra todos, eu gosto, ele gosta, o pai também, tá ótimo.
Quando Cecília chegou compramos um co-sleeper pra ela, assim cabia todo mundo na cama.
"Daqui eles só saem quando quiserem"

E aí chegou a sexta-feira, 13 de janeiro de 2017.

"Mamãe, tá apertado aqui. Quero dormir sozinho,"
"Quer que a mamãe coloque seu colchão no chão do lado da cama?"
"Vou dormir sozinho?"
"É."
"Tá bom"

E foi isso...
Quer dizer, não foi porque o pai ficou agoniado, colocou ele na cama e deitou no colchão dele porque deixar o menino "dormir no chão é maldade".
Mas foi assim, naquela sexta-feira 13 que eu fui ver preço de mini cama...

A cama continua aberta pra ele quando ele quiser, mas sempre que ele precisar de espaço a cama dele estará lá também.
Respeitar o tempo deles é legal, pena que ele não respeita o meu.

Pensando aqui...

Filhos bagunçam um casamento, isso não há o que discutir.
Tem o puerpério, a privação de sono, a nova dinâmica familiar e o que não era problema vira e muita coisa que já era só piora.
E a gente faz o que?
Espera o primeiro ano passar? De repente é fase, né? Daqui a pouco melhora...
E se não melhorar? Engole o sapo e leva uma vida de resignação porque lá em 1932 ele era um príncipe encantado? Conversa vai, conversa vem com gente na mesma fase que eu, percebi que sou diferente de algumas. Resignar-me porque lá na frente eu vou sentir falta nem rola!!  Eu reclamo agora, eu resolvo agora e se não der certo, vida que segue... Será esse o pensamento certo? Será que o casamento não é, também, engolir uns sapos?
Talvez seja, lá por outras bandas...Aqui em casa a gente ou resolve ou encerra. O que não pode é meu filho achar que o homem pode tudo ou minha filha crescer achando que casamento é isso mesmo ou pior, daqui 20 anos eu me pegar arrependida por ter perdido minha vida, identidade e ab…

Mães & Mais

Feliz Ano Novo, gente...
Não consegui vir aqui fazer um post com meus votos pra 2017, mas saibam que são os melhores, tá?Ontem o Mães e Mais entrou no ar. Ele é um blog sobre maternidade e mais como diz o nome. As terças tem texto sobre maternidade, as quintas texto sobre além da maternidade e na primeira sexta do mês tem um relato, entrevista ou crônica.
Ele é um projeto lindo de mães que queriam mais que só a maternidade. Eu espero que vocês gostem!!!E por aqui?
Por aqui continua tudo igual...
Não deixem de ir lá, mas não me abandonem aqui...